terça-feira, 4 de setembro de 2012

Procura...

Por oportuno digo-te, senhor, que a trilha é longa e seca. Não há árvores nem sombra. Toma. Leva água e alguns suprimentos. Deixa teu cavalo aqui. Ele não precisa encontrar o que tu procuras. Sofre o pó do caminho, mas não te ajoelhes ou serás vencido pela inércia. Não aguardes socorro. Não esperes recompensa...
O que encontrarás? Tudo. Ou nada. Ainda assim, anda. Caminhar em direção ao nada ou ao desconhecido é sempre um suicídio necessário. Mata-te, pois, e sairás vivo. Volta, se puderes...

Um comentário:

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

O desconhecido pode também ser uma aventura... Beijos