domingo, 18 de julho de 2010

"Soneto escrito às pressas sob a tempestade"

A um demônio.


Vinde, infeliz, a olhar os campos santos

Em que estorcego agora de loucura.

Ride e cantai ao pé da sepultura

Das dores e dos ossos – e são tantos!


Dançai com frenesi e sem usura

A sanha que vos trouxe e a outros tantos

- Tormento dos propósitos mais santos

Com que fingi ornar-me a catadura!


Vinde e vinde, com fúria e sem descanso!

Perpetuai o ódio que engalana

Minh’alma inconsolável e perdida!


Se atravessei as vagas sem remanso,

Trazei um fim para a miséria humana:

Interrompei, de um corte, a minha vida!

3 comentários:

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Profundo... quiçá um tanto triste. Beijos.

ruth iara disse...

Gostei muito.

Marisa Justo disse...

Olá Glauco como vai?
Me desculpe, só vi seu pedido hoje sobre onde vc pode fazer curso de tricot sem ser discriminado........
Que absurdo pessoas que se metem na vida de outras, e vc liga para isso?
Se quiser entre no Crazy Knitting Ladies do Yahoo, temos homens tricotando por lá e eles são os melhores eheheh, Eu tenho um grupo do google o Trama Mágica Crochet Arte - Gang das Agulhas, e fazemos tricot e crochet, se quiser participar me diga que lhe convido.
Tb posso te ajudar no que vc precisar ok? Meu e-mail é mgajusto@gmai.com , use e abuse!
Bjs no coração.